BITáCORA

A questão de género em Electra, de Olga Roriz

01/10/2015

Nesta dissertação de mestrado pretendemos demonstrar a importância do espetáculo Electra (2010), de Olga Roriz, num contexto de apropriações contemporâneas de mitos clássicos, ou seja, de tradição milenar. É não só interessante mas relevante ver como uma coreógrafa conhecida pela vanguarda e força dos seus trabalhos ao nível da dança contemporânea trabalha aqui esta figura da mitologia grega. Assim, descrevemos o conceito de dança contemporânea por oposição à dança clássica; discorremos acerca da personagem e da sua relação complexa com o ser humano; vimos o papel que a mulher e o género feminino têm desempenhado ao longo dos tempos, tanto na sociedade como nas artes; indagamos sobre a importância do mito clássico para a psicanálise, tendo em conta a relação de Electra com o complexo conhecido mundialmente; analisámos os avatares deste mito clássico nos nossos dias; descobrimos nesta coreografia de Olga Roriz um mundo de significações a partir dos papéis sociais e axiológicos que lhe foram atribuídos pela artista e das diferentes opções coreográficas para a adaptação desta personagem clássica a um espetáculo contemporâneo; e, por fim, aferimos das idiossincrasias da Electra roriziana.

  • Crossing Stages-Twitter
  • Crossing Stages-Facebook
  • Crossing Stages-You Tube
  • Crossing Stages-Flickr